Como fazer refinanciamento de veículo?

Spread the love

O refinanciamento de veículos é considerado uma espécie de linha de crédito. Nesse caso, o tomador do empréstimo oferece seu veículo como garantia de pagamento.

No caso de não pagamento da dívida, o banco credor tem o direito de receber este bem como forma de quitação.

Muitas pessoas recorrem a este tipo de crédito, pois a apresentação de garantias torna a aprovação mais fácil. Pensando nisso, neste post, vamos falar mais a respeito dessa modalidade.

Regras do refinanciamento de veículo

Para conseguir refinanciar um veículo é preciso seguir algumas condições impostas pelas instituições financeiras.

O primeiro requisito para ter acesso a essa linha de crédito é que o veículo precisa ter, no máximo, dez anos de fabricação. Carros com mais tempo de fabricação não são aprovados para este empréstimo.

Outro ponto importante é a apresentação dos documentos. O tomador só pode ser acesso ao crédito se apresentar seus documentos pessoais e também os do veículo.

Valor e prazo para pagamento

O valor liberado para refinanciamento é variável e depende de cada instituição financeira. A média é de 60% a 70% do valor do veículo, de acordo com a tabela FIPE. O modelo do veículo também é levado em conta na hora de definir o valor liberado.

Já o prazo para pagamento segue a mesma linha e é totalmente dependente do credor. A maioria das instituições oferece até 60 parcelas para cada refinanciamento.

Meu veículo não está quitado. Posso refinanciar?

É possível conseguir refinanciar um veículo que não esteja quitado. Mas para isso é necessário que uma parte do valor emprestado sirva para pagar o que é devido.

Vamos a um exemplo: o solicitante deve ainda R$ 2 mil de parcelas e resolve tomar R$ 35 mil através do refinanciamento. Nesse caso, o cliente fica com R$ 33 mil para usar da maneira que desejar.

A maioria das instituições financeiras não aprova o refinanciamento para casos em que ainda existam muitas parcelas a serem pagas.

Vantagens e riscos do refinanciamento

A principal vantagem é a taxa de juros, que acaba sendo menor por ser um empréstimo com garantia. Além disso, o prazo para pagamento é mais extenso, o que faz com que o valor das parcelas seja diluído.

O grande risco para o tomador é a perda do veículo, que acontece em caso de inadimplência.

Por isso é importante que o cliente analise muito bem a situação antes de solicitar o refinanciamento. Faça um planejamento para identificar se o pagamento das parcelas cabe no orçamento mensal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.