Tecnologia é chance: pare de consumir tempo nas redes sociais 

Spread the love

O hora requer simulação e um olhar distinto para a tecnologia, melhor do que de modo algum uma chance. Como você a possui utilizado agora? Como vai ser em seguida?
Quanto melhor sabemos utilizar a tecnologia, mais fácil andar esse hora.
O clausura comunitário trouxe tempo e vagas de pensamento. Recebo em minhas redes sociais diversas mensagens de colegas dizendo que apenas agora perceberam o ritmo frenético em que andavam trabalhando e vivendo. E a tecnologia em meio a tudo isto?
Foi necessário paralisar por vários dias para desintoxicar-se que estávamos acostumados e que nem sempre era bom ou preciso. Ao longo a texto de “O passividade inventivo ”, de Domenico de Masi, me deparei com as seguintes frases:
“Estamos em uma ciclo de transferência, como constantemente.” As negócios no mundo são dessa maneira, cíclicas e em constante mutação. Os mais velhos já viveram guerras, outras epidemias e parecem pegar as transições de maneira mais calmaria.
A geração mais jovem, acostumada a Sucrilhos com leite e Internet disponível em qualquer lugar, a qualquer momento, acaba sofrendo mais. Foram criados supondo que tudo podia ser adquirido e controlado pela tecnologia. E, bem, isto não é verdade. Nuvens de gafanhotos, ventanias e pandemias estão aí a partir de que o mundo é mundo.
Já leu este livro? “Quebre a Caixa, Fure a Bolha ” (clique)
Em depoimento à auditoria Veja, Cid Moreira disse, do alto de seus 92 anos: “Estou sozinho em um povoado no interior do RJ. Sentir falta que? De aeroportos abarrotados? Do tráfego? De festas? Constantemente fui íntimo, estilo mesmo é de ficar em casa. A esta altura, apenas quero conversas sadias e construtivas. Faço Pilates, percurso, tudo o que necessário tenho aqui. O que falta, peço pela internet.”
Discutido sobre o hora astucioso, disse: “ Neste hora polarizado, prefiro não me intervir. Passei por inúmeras reinvenções do mundo. Tudo é cíclico.” Lamentavelmente, poucos idosos evidencia as vagas que Cid possui, porém é rendoso observar a fala lúcida de uma indivíduo que já viveu aproximadamente um século. A experiência acalma e traz remanso.
Leia similarmente: Redes Sociais: atenção, o classe pode perder sua vida financeira
Voltando à texto de Domenico de Masi: “Trabalhando, vendo um filme ou discutindo, precisa ocorrer constantemente a obra de um valor, e juntamente com isto, desporto e formação.” Nem sequer lembro se o escritor concorda ou não com a asserto, porém acredito que é possível exercitar de maneira prazerosa, e que há várias vagas para isto nos dias de hoje.
Nada em oposição a a desenfadamento por si apenas, porém efetua para desqualificar, mudar o tempo, trabalhar enquanto aprendemos e desenvolvemos senso crítico. Não se trata de virarmos robôs constantemente em procura de entendimento definitivo em tudo o que fazemos, porém de selecionar as discussões, as amizades, os filmes, os livros e reintegrar nosso local naturalmente mais copioso.
Dessa maneira, teremos pouco sabichões de Facebook e mais indivíduos reais agindo positivamente por aí. De modo algum subestime o que efetua para ser realizado ao seu aproximadamente. Tente adotar o próximo filme, a próxima texto, a próxima conversa de maneira consciente, para o seu bem. É mantimento para a mente, constantemente sedenta por novidades. O que nos leva à próxima citação.
Leia similarmente: Esgotado do clausura? Veja o que a História pode nos explicar
“A tecnologia é uma chance, não uma obrigação.” Tenho praticado que os pequenos empreendedores que já eram ativos nas redes sociais e marketplaces se adaptaram facilmente ao tempo que estamos vivendo. Tecnologia é chance, porém isto foi um habilidade divino que receberam? Já nasceram sabendo? Posso confirmar que não.
Enquanto a maior parte prefere estar nas calçadas batendo papos infinitos sobre nada, fumando, falando sobre futebol, reclamando do governo ( seja ele qual for, indicado por nós mesmos), mais estavam fazendo um dos farto cursos lucrativo que há ensinando a vender na internet, a dispor sua empresa (por menor que seja ) nas redes sociais, a vender pelo WhatsApp, nos categorias de Facebook e uma miríada de vagas constantemente ao alcance das mãos.
Não deixo de me atemorizar constantemente que vejo uma indivíduo que não sabe pagar um boleto na internet, não sabe usar um aplicativo de banco, não sabe ao menos colocar créditos sozinha no seu telefone celular, porém sabe utilizar com agudeza as redes sociais e joguinhos vários.
Sabe clicar no famigerado tecla dispor-se e repoltronear-se por aí alertas sobre cosméticos lucrativo, livrinhos lucrativo, colocar seus dados pessoais em qualquer link que como ser de vantagens do governo. Cair em golpes financeiros diverso, repoltronear-se vírus antigos e novos com agilidade. Tecnologia, você sabe utilizar?
No momento em que é para o seu progresso único, possui “medinho”. Medo de um banco digital, medo de uma corretora, medo de tudo. Não faz intuito. E evidência as prioridades de cada um.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.